Professor de Meditação | Psicoterapeuta da Alma & Life Coach | Orador | Escritor | Hipnoterapeuta | Sexualidade Sagrada

7 de dezembro de 2014

Porque se torna tão difícil perceber a importância do AGORA?


Esta noite tive um sonho, que me mostrou algo mais do que a essência do 'agora'...

Sonhava, observava que estava a sonhar, fazia parte do desenrolar dos acontecimentos, como se de uma história já conhecida se tratasse... e ia tomando consciência da minha presença e ligação à ideia e visão que tenho do AGORA.

No sonho haviam pessoas, que tal como eu, procuravam a essência do agora e do momento. Havia apenas uma diferença, eu procurava algo que já sabia, já conhecia e as outras pessoas procuravam isso pela primeira vez. ( Naturalmente o sub-consciente foi buscar esta análise após o trabalho do dia de ontem, que foi precisamente lembrar como viver no momento!)

Bem, o mágico de tudo isto foi ter acedido no sonho a um 'detalhe' muito importante, que se encontra na base da construção da estrutura que precisamos para 'vermos' o Agora.

Porque se torna tão difícil perceber a importância do agora?
Porque se torna tão difícil, resumirmos a nossa existência apenas ao momento, se outra possibilidade não existe?
O que nos prende ao mecanismo ou corrente que nos faz acreditar que temos de andar sempre projectados no futuro, ou carregando o passado?
...

No meu sonho eu não conseguia falar, como se fosse mudo, portanto, deduzo daí o silêncio. Ao aproximar-me de outras pessoas que procuravam o agora... eu somente lhes tocava e olhava nos olhos delas... mas como poderia eu ajudar estas pessoas a entender a essência do agora se não existiam palavras? 
E foi aí que algo aconteceu - no silêncio eu tinha capacidade de me debruçar apenas no que era mais importante (exactamente o que acontece quando uso as vendas nos olhos nos meus exercícios)... e o que era mais importante era apenas o momento, pois mais do que isso não me interessava, pois pudera eu conseguir comunicar no momento.

Então pegava nas pessoas, fazia-lhes sinal para fecharem a boca e apontava para algo exterior - dando a entender que cada olhar enxergaria apenas uma coisa de cada vez. Depois de algum tempo, pedia para fechar os olhos e olhar para dentro... e sempre que o fazia, dentro de mim eu observava o efeito da consciência pelo facto de o estar a tentar fazer com os outros.

Na verdade, a essência do detalhe prende-se com a consciência de que existimos uma vez de cada vez... e só existimos uma vez em cada momento!

Talvez para si, que está a ler este texto, esse detalhe nem seja significativo ou importante, tendo em conta que fui eu que vivi, senti e fiz parte... no entanto, uso este episódio para lhe lembrar que na verdade, de nada serve andarmos fora do momento. Certo é apenas o que somos AGORA e já passou...

Nos meus exercícios vivenciais, crio condições para que esse despertar se dê - porque na verdade, espiritualidade, desenvolvimento pessoal e coisas do género, levam sempre e unicamente a um local  e consciência - a capacidade de SER... e SER só pode existir no AGORA!

No próximo fim de semana, no Monte da Fonte, iremos ter como temática principal o PODER DA MENTE, onde entre outros detalhes, iremos realizar exercícios que nos façam criar a âncora e a lembrança que apenas precisamos estar e ser no agora... porque mesmo não sendo, ou na ilusão de estarmos a viver o passado ou presente, a realidade é que estamos sempre no agora - tomar consciência disso, ajuda-nos a arrumar detalhes e situações que até agora podem parecer o tal 'fardo'.

Invista em Si! 
Porque só dentro de Si encontrará as respostas que procura!

Abraço caloroso

JC

Sem comentários:

Enviar um comentário