Professor de Meditação | Psicoterapeuta da Alma & Life Coach | Orador | Escritor | Hipnoterapeuta | Sexualidade Sagrada

4 de dezembro de 2014

Porque é tão difícil acederes ao teu Poder Interior?


O que te impede de chegar a ti?
O que te impede de alcançar aquilo que já percebeste que só tu tens?
O que te impede de abandonar as velhas crenças e ideais que te tornam escravo de um sistema no qual não te sentes enquadrado... não te sentes tu mesmo?

... estás pronto para te libertares?

Habituados a viver o ideal e o supostamente 'normal' e 'correcto', fomos levados a acreditar que, o que já foi comprovado é o que está certo! 
Habituados a assumir que a segurança se alcança quando conhecemos o 'terreno' ou nos baseamos em algo já experimentado anteriormente, esquecendo que existe apenas um único momento em cada vivência e experiência, permanecemos no resguardo da ilusão do certo e esquecemos que a cada instante tudo é diferente e imprevisível.

Pára e olha para a sociedade que te rodeia...
Já reparaste na forma como tudo se conjuga para que seja passada a ideia da necessidade? Já reparaste na forma como a própria sociedade se conduz a si mesma - em que é criado o alimento e a convicção de que para seres útil deves trabalhar ou fazer algo pela sociedade? Já reparaste na estrutura de ensino que foi criada para formatar e criar comportamentos mecanizados e baseados em ideais que alguém instituiu como verdadeiros e certos?

Porque será que quanto mais pessoas formadas existem, menos empregos existem?
Será que na mesma proporção dessas formações, se todos tivessem realizado a formação que vai ao encontro da formação livre onde a essência de cada individuo é preservada e valorizada e expandida, haveria tanta fome e tanto desemprego?

... sim eu sei que, entendes e já pensaste em tudo isto... 
... sim eu sei que, a seguir a tua mente te vai dizer e lembrar do quanto necessitas de condições e permanecer a corresponder a um sistema que te dá a suposta segurança...
... sim eu sei que, preferes o certo pelo incerto... e que tens uma família, filhos e uma estrutura para alimentar e manter...

... mas sinceramente dentro do teu coração, pergunta a ti mesmo e escuta a voz da alma - É isto que eu sou neste momento que me faz feliz e completo? Se hoje fosse o meu último dia de vida, estou onde queria estar e sou quem queria ser?

Pois...
Sabes porque é que o poder continua a ser poder?
Sabes porque é que a submissão continua a ser submissão?
... tanto um como outro, continuam a ser apenas porque são!

Quando crianças, os nosso pais, envolvidos e manipulados por uma sociedade que tem por base o medo, fizeram-nos acreditar que devemos estudar, namorar, realizar um percurso profissional exemplar, casar, ter filhos, manter a família e trabalhar para a reforma.

Eles não poderiam fazer de outra forma - fizeram o que eles sabiam e acreditavam e está certo!

Agora, após tantas tentativas, após darmos de caras com a possibilidade de não existirem horizontes, no mundo do emprego, na ideia de uma família e até mesmo na possibilidade de não existir reforma porque entretanto alguém que usou o poder gastou o dinheiro todo... o que existe a fazer? O que podemos nós fazer para alterar o ciclo vicioso criado pela falta de conhecimento ou medo?

Poderás estar a pensar - tudo isto foi necessário para voltarmos ao básico... Ok! Mas pergunto, porque ainda continuas a fazer tanta resistência ao básico? A uma vida baseada na simplicidade e na criação de condições para podermos ser apenas o que somos, sem fugir e esquecer a essência de que a vida é para se viver... não para se sobreviver!

Acredito que nos encontramos numa altura crucial para a acção ao encontro da verdade pessoal e da concretização da nossa existência aqui na terra.

Deixemos de tretas e de falsas verdades - haverá necessidade de ascender ou atingir um determinado patamar espiritual ou consciência que nos ausente da realidade onde estamos inseridos? Será que o que procuramos quando falamos em espiritualidade não é apenas criarmos condições para nos lembrarmos de que somos a fonte e o primordial?

Em verdade vos digo, porque é o que sinto e é o que me move e mantém no meu juízo perfeito e presente - por ventura já viste o rosto de Deus, ou já comprovaste que Deus é algo ou alguém que detém o poder da forma como tu próprio o queres implementar aqui na terra? Sim... por ventura já viste se Deus tinha olhos como os teus, boca como a tua, braços e pernas como os teus e corpo como tu tens? Por ventura, já falaste com um Deus que julga ou que castiga e te faz seguir um determinado caminho? Por ventura, já partilhaste com Deus momentos de satisfação que envolvam algo fora do momento presente??

Não haveis lido que Deus é omnipresente, é e está em todas as coisas?
Não haveis lido que Deus é livre de qualquer sistema ou regra a não ser a regra da 'não regra', onde tudo é permitido existir e ser?
Não haveis lido que Deus está presente no sorriso mais verdadeiro e na tristeza mais profunda e horrenda?

Então?? Como podemos criar um caminho para Deus e para a Verdade usando o nosso próprio mecanismo que nos mantém no medo e na ilusão? Como podemos chegar a Deus prisioneiros ainda de nós mesmos?

Acorda irmão! Desperta desse sono que te mantém prisioneiro de ti mesmo e escravo de uma sociedade que teima em não te ver.

Sim, acredito que podes ser livre... que podes amar e ser amado... que podes viver e ser feliz com tudo e com nada...
Sim, acredito que existem ouvidos que me ouvem e corações que me vêem e para esses eu escrevo e manifesto.
Sim, acredito num mundo ideal, porque aprendi a amar o mundo onde me encontro neste momento e a perceber que o mais importante seria criar o ponto de partida e crescer, caminhar em direcção a mim... porque só aí, em mim descobriria a presença do divino, do criador!

Não percas mais tempo, age e dá passos ao encontro do que acreditas!

Um dia um fazendeiro por motivos vários teve de se ausentar e deixou as suas terras a cargo de outros homens, na condição de que a colheita seria dividida em partes iguais no final. Na altura da colheita, enviou os seus empregados às suas terras, e os homens que as guardavam ao vê-los reagiram com agressões e expulsaram-nos.
Mais tarde enviou alguém de mais confiança e eles fizeram o mesmo.
Até que enviou o seu próprio filho e nessa altura eles mataram-no friamente.

Muitos são os que já existiram antes de mim e antes de ti.
Muitos já falaram a verdade, o segredo para a liberdade em ser apenas o que somos.
Sem o saberem prepararam o caminho para nós, que agora vivemos possamos experienciar o jubilo do despertar...

... mas não deixemos as nossas terras em mãos alheias... não deixemos que o entusiasmo e a manifestação de corações deslumbrados possam atingir e manipular-nos... não deixemos que a nossa chama se apague... 

Lembrem-mo-nos que viver em escravidão é pior do que não existir... 

Aceitas ser livre?
Tens ideias para a concretização da tua liberdade, algo que nunca tiveste a coragem de colocar em prática, porque não te sentiste apoiado ou entendido?
Aproxima-te de mim e sê comigo - a vida espera por nós!!!

Abraço-te irmão em profundo amor, por saber que onde tu estás eu já estive... e o que tu és eu já fui... e por isso brado aos sete céus se for preciso - mil vezes morto do que viver em escravidão esquecido de quem sou!

Até já

JC





Sem comentários:

Enviar um comentário