Professor de Meditação | Psicoterapeuta da Alma & Life Coach | Orador | Escritor | Hipnoterapeuta | Sexualidade Sagrada

10 de março de 2016

Deus não existe - Deus É!

 
Quando era pequenino, acreditava que deus estava nos céus, acima de mim e naturalmente fora de mim. Acreditava que era maior do que eu e que tinha poderes suficientes para me dar ou tirar vida, consoante o meu merecimento.
Educação, padrões, crenças, oriundos de uma família e sociedade que sempre responsabilizaram deus por tudo o que lhes acontecia.
 
Mas um dia eu bani deus da minha vida, na forma como o via e sentia - deixei de estar separado dele e percebi que eu era o próprio deus. Percebi que tudo o que as religiões queriam dizer, ao fim ao cabo era isso mesmo - deus está dentro e em todas as coisas!!
 
Quando nos referimos a deus, como algo que existe - apenas nos estamos a separar da verdade que o envolve - da mesma forma, quando falamos em 'eu' ou nos referimos a nós mesmos, parece que nos estamos a referir a algo separado daquilo que reconhece a existência - e isso não é totalmente verdade!
 
Como poderíamos referir-nos a algo, quando esse algo somos nós próprios?
Haveria necessidade de o fazer, sabendo que o somos?
 
Da mesma forma - milhares e milhares de pessoas passam a vida a pedir a deus ajuda e orientação, na crença de que ele existe 'àparte' e fora delas - não será demasiado injusto e irresponsável da nossa parte, pedir algo a uma existência que, segundo a nossa crença, habita fora de nós?
E olhando de outra forma - fará sentido pedir ao teu pai e à tua mãe que cuidem de ti - não sabeís bem dentro de ti que não é necessário lembrá-los, pois é algo natural e intrínseco?
 
Foram muitos os que ao longo da nossa existência tentaram banir deus da civilização - porque estes descobriram que a existência de deus separou o homem da sua alma. Nas melhores das intenções, o primeiro homem que percebeu a existência de deus em si mesmo e em todas as coisas, decidiu partilhar com o mundo essa descoberta, mas não sabia que o 'nome', o 'significado' poderia afastar o homem da essência original que ele havia descoberto.
 
Alguém escreveu um dia - 'deus está morto e o homem está livre' - alguém havia descoberto que enquanto deus existisse, o homem seria prisioneiro. Buda, Lao-Tsé, e tantos outros tentaram banir deus da sociedade, mas esqueceram-se daquilo que veio depois dele - a religião - existindo uma religião, uma seita, uma crença, a prisão do homem continuará.
 
Quando descobrimos que somos Deus, uma janela abre-se para uma visão diferente da vida. Quando percebemos que nunca nos separamos dele, porque somos ele, sentimo-nos sempre no colo. Quando criamos a crença (porque tudo se trata de acreditar), de que somos amor, paz e consciência pura a experienciar uma existência humana, a vida torna-se maravilhosamente genuína e viva - exatamente o que acreditamos ser!
 
Se queres ser livre, feliz... viver em paz e amor, deverás abandonar as crenças, religiões, filosofias e tudo o que te empurre para a 'carneirada' só porque sim!
O sentimento e vibração que sentes em locais como santuários, é na verdade resultado do comportamento da fé do homem, e naturalmente o teu subconsciente contribui para o mesmo - mas que efeito isso pode ter na concretização do ser humano e na libertação do homem, se por detrás de tudo isso, existe a crença de uma imagem, de uma religião ou de algo limitador?
 
Alguém comentou nestes dias que eu sou 'anti-guru', tornando-me assim um outro tipo de guru, que atrai na mesma pessoas - uma observação inteligente, mas que não corresponde na sua totalidade à verdade do que sou. Acredito que é na individualidade, na capacidade do ser humano se tornar livre e verdadeiramente original em si mesmo, que chegamos à conquista da condição verdadeira 'UM'. Criar mais templos, mais religiões, mais uma filosofia - mesmo que fosse a filosofia do amor, tornar-se-ia mais uma filosofia, mais uma religião ou seguimento - o que pretendo apenas é lembrar o ser humano que ele pode ser livre de tudo isso, até daquilo que ele julga que lhe faz bem - porque até isso é uma crença!
 
Repara - quando ouves bonitas palavras por parte de alguém que por detrás tem uma imagem de um guru ou mestre, o que achas que a tua mente vai processar ao nível do subconsciente?
'Que bonitas palavras, vem de alguém iluminado - alguém que se iluminou tendo por base o guru que se encontra na fotografia ao seu lado - para eu me iluminar também preciso dele como guia e mestre para me orientar - e sim, quando chegar o momento certo ficarei iluminado com a ajuda dele!' - este tipo de processamento é essência pura manipuladora. Basta!! Tu podes ser desperto AGORA - se quiseres! Porque já és!!!
 
Mas, quando eu falo assim, não sou contra nada - como pode o amor e a verdade não aceitar o que é? Apenas faço o meu papel - uso a minha inteligência, a minha perceção para partilhar o que sinto e o que me tornou livre - tu és livre de ler ou escolher simplesmente banir-me da tua vida!!
 
Em verdade vos digo, só aquele que renascer de novo, conhecerá a verdadeira essência da verdade. Só aquele que morrer para si mesmo, para a sua identidade, terá a oportunidade de ver com o olhos do coração.
 
Porque precisamos estar juntos?
Porque é na partilha de existências semelhantes, em verdades semelhantes e vibrações iguais que potenciamos a existência do que TODOS desejamos para o  mundo e para a vida. Que foi exatamente o mesmo mecanismo que criou movimentos de existências em prol de uma crença - por isso, seja isso uma crença também - vamos acreditar que podemos ser originais, verdadeiros, inteiros, nós mesmos, partilhando com todos isso mesmo e que será isso que dará origem ao UM - e isso acontecerá!
 
Estou disponível para falar sobre esta temática e sobre o que sou, em tua casa, no teu grupo de amigos, na tua empresa, no teu espaço 'espiritual', seja onde for, até mesmo na tua igreja a troco de estar a contribuir para um mundo melhor!
 
Abraço-te em deus. O deus que habita em mim, saúda o deus que habita em ti.
 
Amo-te em deus. O deus que sou ama o deus que és - como poderia deus não amar tudo o que é ele próprio? ;-)


Sem comentários:

Enviar um comentário