Professor de Meditação | Psicoterapeuta da Alma & Life Coach | Orador | Escritor | Hipnoterapeuta | Sexualidade Sagrada

28 de novembro de 2016

Respirar a existência


Quando paras, a tua mente continua...
Quando paras, o teu coração continua...
Quando paras, a tua existência continua...
Mas quando paras... és tu que paras - aquele que vê, aquele que ouve, aquele que cria.

Talvez ainda tenhas uma ideia errada ou distorcida do 'parar'.
Talvez ainda sintas que 'parar' é perder tempo e oportunidades.
Mas precisas entender algo muito importante - o teu conceito de paragem, não é o mesmo que o conceito de paragem para a tua existência. Quando tu afirmas e assumes que paras, somente estás a usar o teu poder criador para criar uma condição diferente do que consideras 'movimento'.
A paragem para a existência é VIDA, ou seja, exactamente o oposto que aprendeste a ter como conceito.

Falamos em meditação, técnicas do arco da velha para respirar melhor e sentir paz interior, mas esquece-mo-nos que nada nos pode separar da existência.... nada nos pode colocar à parte do mecanismo existencial - teria de haver dois momentos... dois 'agora'...

Talvez, seja tudo uma crença, e uma forma de jogarmos de acordo com o que sentimos e somos, mas o que é certo é que todos aqueles que param e respiram a essência existencial do momento, sem desejar mais nada, tornam-se livres e conseguem lembrar-se de que são amor, luz e o primordial.

Dedica 10 minutos ao despertar e 10 minutos ao deitar, a respirar a existência.
Apenas fecha os olhos, sorri, marca no cronómetro os 10m e entrega-te à dança da respiração natural do momento... e verás que facilmente compreenderás que parar é viver!

jcaeiro@live.com.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário